Mãe de bebê achado em caixa de leite diz que escondeu gravidez

Jovem foi achada pela polícia após denúncia

A Polícia Civil localizou na noite de segunda-feira (9) a mãe do bebê encontrado em uma caixa de leite, em Goiânia. Encaminhada para a delegacia, a jovem de 21 anos alegou que escondeu gravidez e está arrependida de ter abandonado o filho. "Me arrependi totalmente. Por mim, o bebê vinha para os meus braços hoje mesmo. Nada justifica o que eu fiz".

A titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) da cidade, Renata Vieira, contou que a mulher foi encontrada após uma denúncia de funcionários do hospital onde a criança nasceu. Segundo Renata, eles estranharam a recusa da mãe em amamentar e cuidar do recém-nascido.

A mulher conta que escondeu a gravidez da família e do namorado. Para disfarçar a gestação, a jovem usava roupas largas e dizia que tinha engordado. “O pai não tem nem noção do que está acontecendo. Para ele, o bebê estava morto. Minha família não aceitaria uma pessoa de 21 anos ter um filho”, relata.

A mãe alega que, como o menino nasceu 16 dias antes do previsto, não teve tempo de pensar o que faria com ele, se o entregava para adoção ou não. “Não tive tempo de pensar. Entrei em trabalho de parto e, em algumas horas, o bebê estava nos meus braços. Não tive tempo de correr ao Conselho Tutelar nem nada”.

Três dias após o nascimento do bebê, a mãe o colocou em uma caixa de leite de papelão, embrulhou-o em uma manta e o deixou em frente a uma casa do Setor Sul, em Goiânia. A dona da residência encontrou a criança no final da manhã de domingo (8), após ouvir o choro dela.

Encaminhado no mesmo dia ao Hospital Materno Infantil (HMI) da cidade, o menino continua internado na unidade de saúde. Segundo o último boletim médico, o recém-nascido passa bem.

Como nesse caso não houve flagrante, a jovem vai responder em liberdade pelo crime de abando de incapaz. Segundo a delegada, o menino continuará com o Conselho Tutelar.

"A criança vai permanecer sob a responsabilidade do Conselho Tutelar até que seja definido (seu destino). Porque a família da mulher, depois que tiver conhecimento de que ela teve essa gravidez, de que teve receio de contar (sobre a gestação), às vezes pode querer tomar conta da criança. Porque ela tem mãe, avó, o namorado e a família do namorado. Essa criança tem muitos parentes que podem ser responsáveis por ela. Isso cabe ao Conselho Tutelar e ao Poder Judiciário", afima a delegada.

 

fonte: G1/GO

Gostou!? Então curta o Estado de Goiás!!


Comentários









 


Atualizacoes no meu email

Responder ao comentário (Cancelar)

Busca

Notícias, imagens, informações e tudo mais...

Siga-nos!

Twitter, email diário, rss e facebook