• estadodegoiasnotic

Após 800 anos, ‘Estrela de Natal’ brilhará em dezembro de 2020

Atualizado: 9 de Dez de 2020

Fenômeno astronômico raro enfeitará o céu da nossa galáxia


Dezembro 08, 2020


Por Silvana Marta


Natal, nascimento de Jesus, troca de presentes, confraternização entre as pessoas, Reis Magos, e…. a ‘Estrela de Belém’.

Quem não conhece a história do bebê mais famoso do mundo, o menino Jesus? Está narrada nos três evangelhos sinóticos do livro mais vendido de todos os tempos: a Bíblia.

Durante os dias 16 a 21 de dezembro deste ano, um fenômeno astronômico raro poderá ser observado no Brasil e praticamente em toda a Terra: o alinhamento de Júpiter e Saturno, que, por estarem próximos, deverão parecer um planeta duplo (dois pontos brilhantes). No último dia do período, 21 de dezembro, a distância entre eles deverá ser ainda menor.

Esse fenômeno é conhecido como “Estrela de Belém” ou “Estrela de Natal”, formação que ficará visível a olho nu após o pôr do sol em horizontes abertos.

De acordo com especialistas, encontros entre planetas podem acontecer mais frequentemente, mas as máximas aproximações são bem raras e demoram mais tempo para ocorrer.


Conjunção


Astrônomos dizem que o fenômeno é tão raro que os planetas só estiveram tão perto séculos atrás. Para se ter uma ideia da magnitude do fato, os dois planetas só estiveram tão próximos nos anos de 1623 e 1226 - ou seja, séculos atrás. O fenômeno mais similar ocorreu no século 13, há quase 800 anos.

Apesar de os planetas estarem próximos, a distância ainda vai ser de quase 700 milhões de quilômetros, disse o pesquisador da USP, Felipe Navarete.

“A conjunção entre dois astros ocorre quando os dois estão sobre uma mesma linha, quando vistos aqui da Terra. Essa conjunção é particularmente interessante porque os dois planetas vão ficar muito próximos no céu e poderão ser vistos juntos de uma só vez no mesmo campo de visão, se você olhar por um binóculo ou telescópio”, disse a pesquisadora do Observatório Nacional, Josina Nascimento. No caso, o evento é chamado de “grande conjunção” por envolver os dois maiores planetas conhecidos da nossa galáxia.


Sistema solar: Júpiter (o maior, ao centro) e Saturno (com o anel) são planetas gasosos, congelados e ricos em materiais carbônicos. Créditos: Getty Images by BBC


Misticismo


Pelas redes sociais, internautas discutem o tema. Há teorias baseadas em passagens bíblicas que sugerem que a estrela que “guiou” os Três Reis Magos resulte de uma conjunção tripla de Júpiter, Saturno e Vênus. Há quem diga que a aparição é um sinal místico.


“Todos os corpos celestes estão em movimento. Em especial, o Sol e os planetas se movimentam em uma linha no céu chamada Eclíptica. Quando ocorre um cruzamento entre os planetas a gente chama de conjunção”, afirma Navarete, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP (IAG-USP).


Confira repercussão nas redes sociais:


"A partir de agora eu estou vivendo somente em função de ver a estrela de Belém dia 21 e nada mais importa

  • M. Mayrink (@mayrink_m) December 7, 2020"


"Gente a estrela de Belém que vai brilhar no céu depois de 800 anos da até medinho - ??????????

(@n0fvn) December 7, 2020"


13 visualizações0 comentário
  • Ícone do Facebook Branco