• estadodegoiasnotic

"Modo Turbo": a 'não treta' de Anitta

Atualizado: 30 de Dez de 2020

Anitta tenta criar 'climão' mas "Modo Turbo" bate recorde histórico como a maior estreia do Spotify Brasil


Dezembro 27, 2020

"Modo Turbo" foi lançado no último dia 21/12 e já bate recorde


Por Silvana Marta


Não é de hoje que as pessoas que convivem com a funkeira Anitta reclamam de seu comportamento, seja no trabalho ou no cotidiano.

Assédio moral e maus tratos contra funcionários e fãs foram primeiramente abordados em um 'exposed' pela também funkeira Ludmilla, que em junho deste ano, respondeu a uma publicação de Hugo Gloss no Instagram, quando ele resumiu uma entrevista que fez com a cantora Anitta e mencionou em uma resenha seu affair com a bailarina Ohana Lefundes,o que gerou o seguinte comentário da funkeira: “Deve ter sido para imitar a Ludmilla”, alfinetou.

Aí foi só um abraço.

Ludmilla foi a primeira celebridade a reagir aos 'maus modos' de Anitta. A partir daí, a rainha da ‘bunda’ e do ‘funk’ começou a ser criticada e seguiram-se uma série de acusações de assédio moral e maus tratos para com sua equipe de trabalho e outros.

Ludmilla reagiu: “Não sei pra que tocar no meu nome, eu hein?”; e continua: “Não me coloca nas tuas palhaçadas mais que eu já estou cansada de você faz tempo”.

Netflix

No documentário da Netflix, Anitta também aparece maltratando seus funcionários, o que corrobora para a veracidade das afirmações da cantora Ludmilla.

No quinto capítulo da série 'Made in Honório', intitulado Bastidores, Anitta surge irritada e descontente com as roupas definidas para a apresentação no Rock in Rio em 2019 e decide ligar para a equipe, vomitando:

"Olha só, deixa eu explicar uma coisa pra vocês de uma vez por todas. Eu tô cansada dessa palhaçada, toda vez é a mesma coisa. Ninguém deixa o André [Philipe, figurinista] trabalhar, aí depois eu me fodo. Quando chego aqui, sou eu sozinha que tenho que resolver os looks, não tem ninguém aqui, porque eu estou falando há um ano dessa porra desse show….Quando eu chego aqui, não tem nada pronto. Quem resolve? Eu! Que enfio uma tora no meu cu e tenho que fazer sozinha! Agora eu quero falar pra vocês que eu vou enfiar no de vocês…” promete Anitta.

Mais recentemente, por ocasião do lançamento do clipe "Modo Turbo" estrelado por Anitta, Luísa Sonza e Pablo Vittar, Anita derramou um balde de reclamações :


“...com um cenário mais de hoje em dia. Para a gente conseguir reverberar em outras coisas de campanha, de grana, fechar outros contratos, estava visando mais à frente um outro público… Não estou falando que o clipe está feio, nada disso, só falando que a minha ideia foi outra”, disse. E completa: “Até porque quando não sou eu pagando, não era eu pagando, era a Luisa…”


Marco Lafero (integrante do duo Alaska com Gustavo Moraes), produtor do clipe, comentou pelos stories que “a parte mais complicada” do trabalho tinha sido “lidar com o ego e falta de caráter de uma celebridade em específico”. Depois, o diretor citou diretamente Anitta ao afirmar que “discorda completamente da conduta profissional da cantora”.

Crítica

Felizmente a produtora acertou em cheio. “Modo Turbo” até a data de hoje (27/12), já teve apenas no canal de Luísa Sonza 22.985.934 visualizações no YouTube e bateu recorde histórico, tendo se consagrado como a maior estreia do Spotify Brasil com mais de 16 milhões de acessos.

O clipe é uma alusão a um game onde Luísa, Anitta e Pabllo são os gamers contra um vilão em comum: o dragão.

Parece que o único problema é que a musa do funk Anitta se recusa a dividir holofotes. O que soa é que como o projeto pertence à Luísa Sonza, que bancou tudo, Anitta se sente mal pelo sucesso da amiga e da Pabllo Vittar. Essa, aliás, discretíssima, não soltou um pio sobre a polêmica, e no vídeo, sua voz aparece divina e sua apresentação impecável.

O ‘climão’ de Anitta soa mais a um ‘piti’. É inveja que chama?

Se Luíza Sonza bancou, é natural que ela se destaque e que o diretor dê a ela os holofotes, que aliás, foram discretos no clipe em respeito às outras beldades.

A produção, ao contrário do que afirmou Anitta, é perfeita. O diretor optou por um cenário de ‘anime’, com a aparição de um ‘dragão’, que no mundo oriental faz todo o sentido, quebrando fronteiras e levando o hit a países como Japão e Coreia do Sul.

Aí, quando o nome do Brasil corre o mundo de maneira positiva, não há o que reclamar.

Menos Anitta! Isso tem nome. É assédio moral.

Confira o clipe:



29 visualizações0 comentário
  • Ícone do Facebook Branco