• estadodegoiasnotic

O tropeço do presidente

Atualizado: Set 6

Agosto 29, 2020 Da redação


Em um país tropical onde o sol bate o dia inteiro principalmente no planalto central, onde encontra-se o Estado de Goiás, nada mais justo que buscar energia solar para produção de energia elétrica.


Entretanto, o mercado de placas solares para produção de energia solar ainda é muito caro e é privilégio de poucos.


A usina inaugurada em Caldas Novas é uma usina privada e nada tem a ver com o governo federal. A usina foi bancada exclusivamente pela empresária e deputada federal Magda Mofatto, que idealizou o projeto, e que construiu um verdadeiro império a partir da exploração das águas termais do município. Os números da usina impressionam: possui 75 mil metros quadrados e 16.578 módulos fotovoltaicos e uma potência de 5,6 milhões de Watt-pico (Wp). Para se ter uma ideia, ela é capaz de iluminar 4.526 residências (157 kWh). É a maior usina em perímetro urbano no Brasil e a nona em dimensão em todo território nacional.


Mas o Grupo ‘Di Roma’ precisa dela, pois muitos questionam se esta exploração das águas termais de Caldas Novas foi ordenada ou desordenada. Infelizmente é fato que as águas termais estão esfriando porque muito foi tirado da água do subsolo, o que tem provocado o fenômeno do resfriamento das águas, justificando a implantação de uma usina para aquecer as águas dos clubes ‘Di Roma’.


Mas existe uma face desse empreendimento que precisa ser exposto ao cidadão caldasnovense, qual seja, o pulo do gato: o excedente elétrico que sobrar de energia que não será utilizada pelo Grupo ‘Di Roma’, será ofertado ao município de Caldas Novas, que poderá comprar essa energia.

Aí é que mora o perigo.

Se não houver seriedade na administração municipal, a venda dessa energia poderá se tornar um enorme canal de corrupção.

Queridos cidadão de Caldas Novas


Quem é o candidato de Magda Mofatto para a prefeitura de Caldas Novas? O marido dela né? Vejamos: ela é dona da usina de energia solar e suponhamos que ele ganhe a eleição para prefeito: a mulher vendendo energia solar para o município de Caldas Novas e o marido comprando através da prefeitura - Deus nos livre e guarde!

Repito: essa possível futura transação de compra e venda de energia da usina de Magda Mofatto para a prefeitura de Caldas Novas poderá ser palco de grande corrupção.

O tropeço do presidente


O presidente da república Jair Bolsonaro veio à nossa cidade em uma mega operação, com uma enorme comitiva de assessores e um grande aparato de segurança para inaugurar uma usina privada, que nada tem a ver com nenhuma ação que ele tenha feito: nenhum centavo do governo federal foi investido. Conclusão: Jair Bolsonaro veio fazer inauguração com o chapéu alheio, para enganar bobo!


Utilizou as aeronaves palacianas, andou sem máscara pela multidão, e ainda tropeçou ao subir ao palanque. Mal sabe ele que o tropeço maior ainda poderá estar por vir.

Sobre as águas termais de Caldas Novas


Todos sabem que as águas termais de Rio Quente e Caldas Novas estão perdendo o calor a cada ano, em razão da exploração exacerbada e ganância dos empresários dessas cidades. Os clubes são os responsáveis pelo resfriamento das águas termais do nosso município, já que, em busca da ampliação do negócio, ferem o subsolo e destroem o lençol freático de águas termais.


O direito de mineração das águas termais em Caldas Novas é um negócio da China: a natureza produz, o empresário explora e o turista consome a preço de ouro. Tanto é verdade que a empresária Magda Mofatto inaugurou a maior usina fotovoltaica urbana do Brasil, para aquecer as águas que ela mesmo, através de sua exploração, esfriou. Sem água quente, sem turismo. Ao final, ela está consertando o que estragou.

Jogo político desavergonhado: a candidatura do marido de Magda Mofatto a prefeito


Magda Mofatto é uma mulher poderosa. Ela é Deputada Federal. Mas ela quer mais.

Lançou seu marido, Flávio Canedo, a prefeito de Caldas Novas.

Ação de Improbidade Administrativa

Magda Mofatto está sendo processada por gato no esgoto dos clubes ‘Di Roma’ pelo Ministério Público de Goiás (MP/GO). Flávio Canedo, marido da deputada é acusado de criar indevidamente nova conta mais barata para o empreendimento ‘Di Roma’, de propriedade de Magda, e requereu o bloqueio de bens de Magda Mofatto por dívida de mais de R$ 1 milhão a Departamento de Esgoto.


Canedo é acusado de criar indevidamente uma nova conta de esgoto mais barata para inibir a fatura da velha conta quando era presidente do Departamento de Água e Esgoto de Caldas Novas (Demae), entre os anos de 2013 e 2016. A acusação é de que ele usou a influência dentro do departamento que dirigia para encobrir a dívida da esposa.


O débito cobrado pelo MP/Go é de R$ 1.199.910,42; e inclui faturas a partir de 1995. Intimado, Canedo ignorou a justiça e não juntou os débitos e faturas da empresa.

O marido de Magda, pré-candidato a prefeitura de Caldas Novas Flávio Canedo não deslanchou nas pesquisas de intenção de votos no município. O circo foi armado para a inauguração de sua própria usina de energia elétrica.


A ação de improbidade movida pelo MP/Go contra marido e mulher dita lesão ao erário para facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular e atentado contra os princípios da administração pública.


Já pensou se eles chegam à prefeitura de Caldas Novas? Fica a dica!




Texto intelectual protegido pela Lei dos Direitos Autorais (9.610/98). Este conteúdo pode ser republicado, desde que cite a fonte e autoria


51 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco

@2020 - Apaixonadamente criado por IPÊ-ESTRATÉGIAS